04:55 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (0)

Porque há momentos que são curtos mas bons... Deixo este momento para um comum:

http://jantaraum.blogspot.com/

00:18 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Sei que o momento é difícil, sei que as coisas nunca são como nós queremos.
Sei que a vida nos ilude e que por vezes parece que temos o mundo contra nós.
Sei que às vezes os dias cinzentos nos roubam a esperança, e que pensamos que não vale a pena.
Sei que somos bons demais para o mundo em que vivemos, e que o reconhecimento nunca vai chegar na medida em que o merecemos.
Sei isso tudo...

Procura, dentro de ti, a tua força. Os momentos mais difíceis iludem-nos exactamente para pensarmos que não vale a pena.
A dificuldade do caminho, as pedras que tem, faz parte do nosso crescimento, da nossa aprendizagem.
Temos que encarar o problema de frente, olhos nos olhos e, se necessário, recorrer a quem nos possa ajudar a fazê-lo... só assim se pode vencer. Lutar sozinho é lutar contra tudo mas, esquecemo-nos que o pior inimigo é o próprio, somos nós mesmos que nos obrigamos e desiludir, desistir ou deprimir. Esse é o inimigo que temos que vencer primeiro.
Antes de tudo, que a nossa chama mantenha acesa nem que seja uma luz piloto de esperança, porque as coisas acontecem quando menos o esperamos. Segundo, o dever do empenho e da perseverança na procura do caminho, e uma vez detectado, percorrer esse caminho a qualquer custo, dentro dos nossos princípios e parâmetros de vida.
Finalmente, e o segredo está aqui, na recta final, ter a força, coragem e dedicação para seguir em frente, para se, e caso tudo falhe, voltar a fazer um outro caminho, uma outra luta, com a mesma determinação ou mais que antes. Só assim se poderá vencer, só assim conseguiremos chegar ao fim vitorioso, e contando, sempre, com um guia, um GPS que nos oriente o melhor que puder... Se tivermos um bom, o caminho será seguramente o mais curto e menos acidentado, senão, temos que confiar à mesma, pois só assim, com confiança, as coisas acontecerão.

"Cuz I'm hopeful, yes I am, hopeful for today,
Take this music and use it
Let it take you away,
And be hopeful (hopeful) and he'll make a way
I know it ain't easy but that's okay.
Let's be hopeful!"

Juanito 07*02*09

00:33 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (0)

Na sua ingenuidade ela foi sempre tão eloquente.
Como te compreendo, Mafalda, como te compreendo.

Juanito 05*02*09

07:32 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Hoje para ti canto, escrevo, danço e pinto.
Hoje tu és a minha razão, a minha incerteza e a minha dúvida.
Hoje, o dia passa e tu ficas, acompanhando a realidade com pinturas de sonhos.
Hoje, mesmo se a vida está pintada em tons de cinzento, o esverdeado dos teus olhos pinta o meu caminho.
Hoje, sou sombra do amanhã que não chega e passa demasiado depressa.
Hoje, és uma parte de mim ainda indefinida, insólita e invisível.
Hoje, é um dia como qualquer outro, excepto que não é.
Hoje, quero-te perto de mim, muito mais perto que ao meu lado, na minha alma.

Todos os geniais tiveram geniais ao seu lado, e a mulher é, ao lado de qualquer homem com sorte, a sua melhor parte. A obrigação de cuidar dela chega com obrigação de se cuidar de si mesmo. Para ela, ser o melhor homem não chega, para ela, dizer que se ama não é suficiente, para ela, não são rosas, diamantes e chocolates apenas.
Cuida-las, é através da delicadeza do acto e da subtileza do pormenor.
Ser o melhor é estar, apoiar, ouvir e compreendor, não ser apenas o bom.
Dizer que se Ama é olhar profundamente nos olhos e senti-lo, de forma que apenas saia um suspiro, dito em momentos muito especiais.
Rosas, não valem pelo bouquet, mas pela lembrança do momento.
Diamantes, não valem pelo brilho, mas pela forma como dizem como a achamos bonita e como queremos que se sinta bonita também.
Chocolates não valem pela doçura, mas pela mística de se querer partilhar algo doce e íntimo com ela.
Ser-se bom é muito mais que trabalhar e ser bom pai, marido ou amante. Ser-se bom é estar, gostar e partilhar.
É a profundidade e atenção que nos fazem grandes homens, a preocupação com o que está a nossa volta, o pormenor.
Para ser-se grande, temos que saber ser pequenos e médios também, nos momentos certos, porque não são apenas os grandes feitos, os pequenos são igualmente importantes, só assim, poderemos agradecer de forma justa, a dignidade e honra que é, ser amado por uma Mulher.

Juanito 04*02*09

00:28 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Rosa Azul - mistério, a conquista do impossível.

Chi è la mia meravigliosa creatura?

Juanito 02*02*09

00:30 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


São silenciosas as bombas que caem pelo mundo fora nesta maldita crise. Estamos em guerra, e o pior de tudo, é que o alvo ínvisivel somos nós próprios, a nossa própria forma de vida.
Chegamos ao auge da guerra, ou melhor, a guerra chegou a nós, aos nossos empregos, às nossas casas, à nossa familia.
E agora?
Agora, tempos extremos requerem medidas extremas. Nunca defendi o extremo no seu todo, mas defendo que pressionar, tal como a um tubo de cola, faz com que se deite para fora o contéudo, que é o que realmente importa.
Chegou a altura de cortar, a altura de reter, a altura de parar um segundo e pensar.
É necessário por a mão na consciência e ver onde e no quê erramos. E sim, somos todos culpados. Muitos poderão pensar: Mas que culpa é que eu tenho?!
Temos culpa em ir todos os dias passear ao shopping alimentar fortunas intermináveis e fazer o mesmo que se faria a custo zero, por preços infinitamente superiores.
Temos culpa em votar, à direita, ao centro, à esquerda, em branco, ou não votar, e permitir que um estado corrupto e um governo impotente nos lidere.
Temos culpa em não ter consciência e mentalidade progressiva, trabalhar um bocadinho mais do que aquilo que devemos, pensar um bocadinho mais daquilo que precisamos, comprar um bocadinho menos daquilo que queremos.
O resultado final? Será desastroso. E ainda não se viu nada.
Hoje?é a lei do mais forte!
Amanhã? A lei da sobrevivência!
Sorte daquele que guardou como a formiguinha enquanto todas as cigarras da sociedade viveram suas vidas, sorte daqueles que trabalham, dia após dia, e por isso são respeitados, sorte daqueles que tiveram a clarividência de inovar, a determinação de concretizar, a ambição de chegar, porque hoje, serão esses que irão sobreviver. A dúvida que fica hoje, e que cada um tem que fazer a si próprio é:
Serei eu caça ou caçador?
E, humildemente, trabalhar, todos os dias, para não cair na armadilha da sociedade, e esta, é um caçador muito bem armado.

Juanito 31*01*09

porque os p.s. também fazem parte da vida, os parabéns a alguém especial!

01:04 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Igual a mim mesmo e sempre com a mesma inspiração.
Tenho um elemento frágil em braços, cuja compaixão e inocência infinitas mudaram a minha alma e mente, empurrando a minha consciência para que me julgue primeiro a mim mesmo e depois a tudo o que me rodeia.
Continuo igual a mim mesmo mas cada vez mais diferente, porque essa consciência se torna cada vez mais exigente, motivada por um exemplo de subtileza e classe natural somadas a uma capacidade inata de fazer o bem, o que me obriga a mim, a ser melhor pessoa.
Eu mesmo sou fruto da tua bondade e, no que me diz respeito, já tiveste sucesso porque sinto-me a pensar não melhor, mas mais bem, desde que estou a teu lado.
Hoje, graças a ti, acredito que as pessoas podem mudar. Hoje, graças a ti, sinto essa mudança.
Que graciosidade tem essa beleza escondida por baixo da tua pele, o sorriso constante que a tua alma emana, cheia de bondade e imcompreensão perante aquilo que a rodeia.
A tua bondade não se pinta em nenhuma tela, em nenhuma canção se canta, não se fala ou escreve, apenas sente-se. Deixa-a assim, escondida e á mostra, pelo menos enquanto alguém no mundo a merecer.

Juanito 30*01*09

06:12 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Será que a Natureza das pessoas é ser má, ou isso aprende-se com o tempo?!

Juanito 29*01*09

00:11 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Hoje, o meu sorriso é apenas teu, o meu coração, sempre.

Juanito 28*01*09

16:07 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Portugal é, certamente o país mais rico de Europa nalguma coisa... Hoje descobri o que!
Afinal, somos os piores condutores, os mais bêbados, que mais batem nas mulheres e mais incultos. Conseguimos bater records em tamanho de Bolo-rei, grelhas de sardinhas ou Talk-Shows inúteis, mas nunca me orgulhei tanto do país em que vivo como agora. Sim, somos recordistas em afirmações futebolísticas contra os árbitros! Líderes absolutos.
Alguns números:
Segundo a tese de mestrado de um conceituado árbitro português, um arbitro toma em média 200 decisões por jogo, sendo que a média, segundo esse senhor, de decisões acertadas em Portugal está nos 95%, comprovando a qualidade do trabalho desses ilustres senhores. Ora acontece, que as decisões nos quais se enganam têm aproximadamente 75% do peso total das decisões do jogo, diminuindo assim a margem de acerto para uns míseros 25%... Notável...

MAS A QUEM É QUE, NO SEU PERFEITO JUÍZO E NAS CONDIÇÕES NAS QUAIS VIVEMOS PODE ISTO INTERESSAR?!?!

E se agora dizer que isto foi a segunda notícia do jornal? E a primeira foi o caso freeport. Sim, porque aparte da arbitragem, apenas a propaganda política consegue prevalecer nos média. Alguém acredita na liberdade de imprensa? Eu acredito na liberdade compressa... Ou prensada.
Deixei de acreditar no que oiço ou leio há já muito tempo, agora, coloco em causa se as pessoas um dia não se vão fartar de ser enganadas e fazer como na Grécia e desatar a pedrada com tudo e todos, porque por este andar, o caminho que seguimos só poderá levar a um mau destino.
Esperança, levam-na com o IVA, ideologias, com a corrupção, seriedade, com o dia-a-dia, resta a solidão e comformismo... Triste mundo no que vivo, socialmente consumido. Deixo que o amor me alimente a alma, esse pelo menos, ainda me dá razões para acreditar, e por esse sim, vale a pena acordar todos os dias.

Cada vez dou mais razão ao Ché, lutar por ideais, espero que a nova geração traga a revolução, ela tem que acontecer dentro de cada um...

Juanito 26*01*09

11:04 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Em que reino, em que tempo e sob que silenciosa
Conjunção planetária, em que secreto dia
Que o mármore não guardou, surgiu a generosa
E única inspiração de inventar a alegria?

Ah! com outonos de ouro a inventaram. O vinho
Vermelho e ardente flui banhando as gerações
Como o rio do tempo, e em seu árduo caminho
Seu cântico nos doa, e seu fogo e seus leões.

Na jubilosa noite e na jornada adversa
Ele exalta a alegria ou suaviza o espanto.
E o ditirambo que hoje, efusivo, lhe canto

Disse-o o árabe uma vez, cantou-o outrora o persa.
Vinho, ensina-me a ver a minha própria história
Como se fora já cinza e pó na memória

poema de:
JORGE LUIS BORGES (Argentino)

Juanito 22*01*09

13:28 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


O tempo passa, mas não pode nos passar ao lado.
Os dias vão, mas ainda faltam os que vêm.
Os sonhos concretizam-se, mas novos sonhos virão noite após noite.
Os desafios conquistam-se, mas novas barreiras podem ser vencidas.
Os caminhos cruzam-se, e por vezes separam-se, outras separam-se para se cruzar.
O Sol nasce e põe-se, a Lua vai e volta,
a Terra gira à volta do Sol, mas também gira sobre si mesma.
O destino pode ou não estar traçado, mas caminhamos todos para o mesmo fim.
Mais uma vez, o que interessa é a forma como vivemos, e tentarmos, por todos os meios, que o amanhã seja melhor que hoje.


Juanito 22*01*09

00:06 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


São complicados os momentos de incerteza, penso que é a condição humana mais desconfortável.
Pelo menos, quando sentimos dor, sabemos o que estamos a sentir, custa, mas pior é não saber.
Existe a questão da esperança, intimamente ligada à incerteza, mas até a esperança pode desvanecer um dia, depende do espírito de cada um.
Nos momentos em que vivemos, a incerteza tornou-se uma constante, porque hoje não há garantia de futuro, para nada nem ninguém. Tudo se tornou efémero e volátil e, isso, apoiado pelo facto da nossa própria existência também o ser, torna-se um fardo para aqueles que esperam uma oportunidade para mudar de vida, receando que, quando apareça, seja tarde demais.
Por isso é necessário apoiar, e, sobretudo, agir. Corramos atrás do destino, eventualmente iremos apanha-lo e, quando isso acontecer, sentir-nos-emos muito mais aliviados. O problema de correr é que podemos tropeçar e cair, mas, enquanto houver alguém para nos amparar, tudo correrá bem.
Coragem, eu estou aqui, vamos juntos, um dia, o Sol brilhará.

Juanito 20*01*09

00:58 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


"E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências…
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida."

Vinicius de Moraes


Aos meus amigos... As minhas palavras não bastam nunca.

Juanito 19*01*09

00:05 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Deixo-me transparecer por dentro.
Não gosto que a minha alma se oculte, não consigo, sou demasiado óbvio no que diz respeito à aquilo que sinto.
A minha felicidade exprime-se com um sorriso, a minha raiva com a cara fechada, o meu entusiasmo com uma gesticulação acelerada.
Não sei se seja do sangue latino, ou de uma vida passada a correr, o que sei é que pelo caminho ficou perdida um bocadinho da minha capacidade de ocultar o que sinto por dentro.
E é sempre com o que está dentro que falo, de coração.
Resguardo alguns detalhes para o íntimo, que esse sim nunca deve transparecer, mas no dia-a-dia não lido bem com aqueles que sinto que não estão a ser corentes, e por ainda, com aqueles que sinto que não estão a ser honestos e verdadeiros comigo.
Não acredito que, nos dias de hoje, haja muito mais espaço para joguinhos entre pessoas que se conhecem, se gostam, se respeitam, se entre ajudam ou simplesmente se necessitam mutuamente.
Tentarei ser sempre o melhor que posso ser, sem procurar ser perfeito. Se tentarmos manter a nossa consciência limpa e a nossa alma tranquila seremos boas pessoas. Apenas procuro ser um bocadinho melhor do que aquilo que é suposto ser. Não é fácil.
Espero que, no final do dia, haja alguém lá para me aturar, sem ser necessário reconhecer, e ficarei grato por isso. A minha alma e o meu coração também.

Juanito 16*01*09

00:40 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


As noites são nossas, será que se perdem se não dormimos juntos?

Entre um copo de vinho e um vidro embaciado os nossos mundos convergem.
Chove lá fora, mas tá quente cá dentro e as horas passam como os minutos que não contamos.
Somos, um livro aberto, e a história que temos para contar ainda agora vai começar, ainda nem começou, porque há uma história minha, e tua, mas sobretudo, uma nossa.
Deixo-te em paz, não provoco, não mexo, apenas sorrio, porque não são mais que algumas frases de um capitulo ainda introdutório.

Não, guardo-me para outro dia.

Sem rodeios, gosto de por em causa, testar, o que me rodeia, inclusivamente a mim próprio, nas diversas situações. Somos feitos por momentos, engana-se quem julga que guardar hoje para viver amanhã é uma boa estratégia, mas o amanhã pode ser tarde demais.
Não é necessário viver cada dia como se fosse necessáriamente o último, mas sim vive-lo como se esse dia nunca mais fosse voltar, porque não volta, e entre tantos que por nós passam, é importante criar aqueles que nos deixem memórias, porque é a esses que um dia vamos querer voltar.

E, enquanto poder fazê-lo, lá voltarei, com um sorriso e mais uma ruga, aguardando que o destino torna este um dia ainda mais inesquecível.

Juanito 14*01*09

07:30 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (0)


Acelero.
Sinto o carro a vibrar e a estrada debaixo de mim.
A paisagem fica e eu passo por ela, depressa, com o vento no cabelo que o meu cabrio me permite usufruir.
Que prazer, que gosto me dá sentir a aceleração debaixo dos pés, adoro, adoro conduzir.
Não é necessário ultrapassagens doidas, ou curvas malucas, basta apenas uma estrada aberta à minha frente e cem cavalos debaixo de mim, estou bem, estou feliz.
Chove? Ainda melhor, desde que possa ver a estrada e não precise os para-brisas no máximo aproveito.
Onde vou? Não sei, a maior parte das vezes tenho onde ir, mas, de vez em quando, apetece mesmo o desconhecido, ir sem destino até onde me der. Normalmente, o mar.


Navego por mares de cimento rumo a outros destinos e sempre que puder, levar-te-ei comigo!

Juanito 13*01*09

08:17 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Hoje, acordei e senti-me envelhecer, não senti o entusiasmo característico das crianças,

Nem tão pouco a felicidade que nos acompanha nestes momentos, quando ouvimos o Parabéns.

Hoje, foi mais um dia, hoje, sou mais um no meio da multidão.


No entanto, hoje, sinto-me especial, não extasiado mas especial, tão especial como em qualquer outro dia,

Especial porque tenho pessoas que me fazem sentir especial.

Especial porque o mundo gira a minha volta às vezes, e eu giro a volta dele na maior parte delas.

Especial porque tenho amigos, familia, namorada e cada um se lembra de mim à sua maneira.

Especial porque acordo e sou abraçado, e recebo um sorriso de bom dia quando saio de casa.

Especial porque tenho quem comigo brinque e corra, me morda e ladre, me cuide e venere.

Especial porque faço parte duma geração com esperança, com dúvidas e medos...

Especial porque posso ir jantar e ter quem fale comigo de futebol, sexo, política e novelas, sempre com o mesmo entusiasmo.

Especial porque faço 25 anos e consigo me comportar como se tive 15 ou 35.

Especial porque, no fim do dia, sou algo para alguém, e consigo-me olhar no espelho e sorrir.

00:21 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


A vida é feita de enganos e desenganos, decisões e indecisões, certezas e incertezas.
Penso que só há duas coisas garantidas na vida... Que vais morrer eventualmente um dia, e que vais errar muitos deles.
Erramos, erramos e erramos, isso faz-nos mais humanos.
Assumir esses erros, faz-nos especiais, porque já nem todos o fazem.
É para mim difícil ser especial, pauto pela impetuosidade, perdão, pela impulsividade característica dum sangue latino, e considero que sou, muitas vezes, algo agressivo quando me manifesto.
Lamentavelmente, existem um conjunto de factores adicionais, humanos, que quando conjugados podem induzir-me a errar na minha forma de expressão.
Ontem errei na minha forma de expressão. Com ou sem factores externos envolvidos, com ou sem condicionalismos, errei, e estou profundamente arrependido por tê-lo feito.
Curiosamente, o meu erro propagou-se e convergiu, com alguns outros erros de outras pessoas, que não são especiais, dando azo a um erro ainda maior.
Conclusão, temos um grande erro por um conjunto de pessoas, que algumas assumem e outras não.
Problema, sem uma assumpção clara de que ocorreu um erro conjunto, não existirá nunca uma tentativa de solução conjunta.
Solução, cortar uma das raízes do erro para que este não cresça, se desenvolva e evolua, e tratar do outro com cuidado para que não cresça num erro e sim numa solução.
Efeitos secundários, os erros, por vezes, pagam-se caro...

Juanito 10*01*09

09:37 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Sonhar é algo que me acompanhou toda a vida.
Esses pequenos momentos não nossos, num cinzento colorido, que nos permite misturar desejos, vontades, medos, realidades...

Já tiveram algum sonho que parecia tão real, que não tinham a certeza se estavam a sonhar?

Eu tive pela primeira vez...
De tal forma real que sentia, cheirava, saboreava... tudo...
E sim, percebi pela primeira vez, a nossa mente é tudo. A nossa mente é quem comanda tudo o que somos, o que fazemos, o que sentimos. A nossa mente é o nosso bem mais importante, sem ela, somos apenas carne.

Adoro sonhar, e gostaria que sempre que o fizesse fosse tão real como a vida, que me permitisse viajar sem sair, estar e sentir, onde e o que quissesse, sem regras.
Adoro sonhar... O sonho, comanda a vida.

07*01*09

03:05 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


Traz-me essa tão característica impetuosidade tua,
Tira-me a liberdade de acções com a tua silhueta,
Obriga-me a realizar todos os teus desejos com o teu encantador olhar,
Faz-me ir atrás da fragância que os teus ombros emanam docemente,
Provoca-me, ignorando as minhas palavras como se de vento se tratassem,
Ilude-me, com esses movimentos em falso, acusadores duma confiança pura,
Retrai-me, negando-me a tua presença, com uma distância ensurdeçedora,
Cativa-me, no teu subtil charme de quem qualquer movimento é natural,
Prende-me, Consome-me, Desfaz-me.
O que tu quiseres, só tu e tu e tu!

Juanito 06*01*09

00:36 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)


O chocolate que tanta falta nos faz à vida, pode ser absorvido de várias formas,
alguns alegam não gostar do seu sabor, mas o seu cheiro está em muitos perfumes,
outros, dizem que só gostam do doce, no entanto todo o chocolate é amargo.
A mim, não digo que não a nenhum tipo, mas continua a ser a paixão o meu chocolate,
aquele que me inspira, que me deixa um sabor na boca de querer mais e mais...

Já sentia falta de chocolate.

Juanito 05*01*09

03:24 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)

A caminho para te rever depois de tanto tempo. Os dias, as horas, transformam-se quando não estás por perto. Por aqui, a vida continua, o Céu está nublado e o Mar agitado, algo se aproxima...
Amanhã, por esta hora, estarei a chegar à uma cidade que não é minha nem é tua, mas foi e será sempre nossa. Amanhã, Lisboa recebe-te de braços abertos, oferecendo-me a mim o prazer de te abraçar por ela.
A distância aproxima-nos. Não deixemos que a proximidade nos distancie. Aguardo-te ansiosamente meu amor.

Juanito 03*01*09

09:57 / Publicada por Novos Caminhos a Percorrer / comentários (1)

É com este novo amanhecer que inauguro este novo espaço.
Um espaço comum, a mim e a ti, para que nós possamos aproveitar ao máximo os nossos momentos em comum.
Que seja por dentro e por fora, por tudo e por nada, que nos possamos deleitar sobre o tanto que nos acontece por quase todas as razões.
Que seja um canto de sonhos e ilusões, construção e vida, para que possamos comtemplar no futuro o longe que chegamos.
Que seja um relógio sem ponteiros de nós, porque não somos medidos por segundos e sim por momentos.
Que seja um espaço sempre nosso, nunca meu ou teu, e que te vejas como num límpido lago dentro dele, que lhe possas sempre sorrir.

A nós e aos nossos momentos comuns.

Juanito 02*01*09